Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player


Canário Cobalto

Primeiro contato do cobalto: "Atualmente todos falam do cobalto, mas ninguém sabe exatamente do que se trata"

Histórico:

Em 1994, por ocasião do campeonato da Alemanha, em Ulm, os canários cobre nevados de um quarteto de Karl-Werner Weber (KWW), causaram grande surpresa, já que eles tinham a parte de baixo do ventre, e em volta da cloaca, uma coloração cinza bem escuro. Havia apenas três exemplares com esta particularidade e isto foi atribuído a uma manipulação de Karl-Werner. De volta à sua casa arrancou algumas penas de coloração diferente e esperou para ver como elas iriam crescer novamente.

Aparentemente esta particularidade poderia estar relacionada à alimentação (apesar de que o efeito do Polygonum não se verificar nesta época). Mas, efetivamente não era isso.

Na primavera seguinte, Karl-Werner obtém os primeiros filhotes vindos destes machos cobre. Infelizmente, todos tinham a parte de baixo do ventre clara, correspondendo ao cobre clássico normal. No ano seguinte, Karl-Werner me informou que havia cruzado este macho com uma de suas filhas, para fixar assim o peito escuro. Infelizmente, neste ano, este macho não fecundou nenhum ovo. Assim, no período de cobertura, ele decidiu cruzar irmão x irmã com os filhotes obtidos no ano anterior. Foi assim que surgiram os primeiros filhotes com a parte de baixo do ventre cinza. Logo pudemos observar que em sua plumagem juvenil estes pássaros tinham no corpo muitas penas pretas.

Após alguns acasalamentos, podemos afirmar: esta mutação é devida à hereditariedade recessiva livre.

Agora era preciso encontrar um nome para esta mutação. Monika, a esposa de KWW encontra imediatamente a solução, uma vez que a cor lembra o metal cinza e surge então o nome cobalto. O casal, juntamente com Markus Bergholt, faz a criação desta mutação. Os primeiros anos não são animadores, ao contrario, com muitas decepções, o que é normal neste tipo de acasalamento consanguíneo.

Ação do cobalto:

Em primeiro lugar, diz respeito ao conjunto de penas do pássaro. Os intensos tornam-se extremamente escuros. Mesmo sobre os clássicos de qualidade média, a partir do momento em que há o cobalto obtém-se um pássaro diferente. Sendo assim poderíamos ter rapidamente cobalto de grande qualidade acasalando-se com negros de excelente qualidade. O cobalto melhora os canários negros.

Cobalto e Ônix :

Em 1996, via-se cada vez mais ônix com o ventre bem claro. Achamos que o colbato pode melhorar o ônix, já que ele carrega melanina até a ponta da pena. Sobre o ônix negro nevado, o cobalto traz um baixo ventre cinza canela que compensa a deficiência apresentada pelo ônix.

Vemos que podemos tudo com o fator cobalto.

Cobalto e Mosaico :

Os mosaicos apresentam sempre a zona próxima da cloaca sem melanina e sem lipocromo. O baixo ventre é branco. Como normalmente a ponta das penas desta zona não fixam as melaninas, é possível que graças ao cobalto esta zona tenha a coloração escura, como foi o caso dos intensos e dos nevados. O cobalto agirá ou o mosaico inibirá a ação do cobalto? Eis algumas questões que nos são apresentadas.

Próxima página

OBRIGADO PELA VISITA! TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © CANARIL MOURA